Desafios a Grande Natal

Desafios a prefeitos e secretários da Grande Natal.

Cada mão tem cinco dedos, e quando visualizamos alguém com a mão aberta, estendida, expondo a região palmar livre, com todos os dedos abertos e estendidos, há um significado. Significa um gesto onde são compreensíveis alguns sinais, algumas intenções. Algum aviso. Podem Indicar que devemos parar de executar a ação que está sendo executada. Pode significar um sinal para diminuir a velocidade da ação. Ainda também, que cinco situações ou opções poderão ser oferecidas ou estabelecidas. Como cinco os desafios aqui, aos governantes da Região Metropolitana de Natal, a região que será mais influenciada e atingida pela Copa de 2014, com algum jogo na capital potiguar, se é que vai acontecer.
O tempo urge, é cada vez menor, e os problemas a serem resolvidos cada vez se tornam a cada dia maiores. Além dos problemas existentes anteriormente, novos problemas estão aparecendo, como o impasse do calçadão de Ponta Negra, o aumento dos engarrafamentos e o aumento da violência urbana. A tão falada mobilidade urbana continua nos planos e no papel.
Primeiro desafio. Chegar ao ano da Copa com a cidade em condições de receber turistas nacionais e estrangeiros. Exemplo de teste: Colocar uma mochila nas costas e munido de GPS atravessar a cidade, ou as cidades, a pé. Um ato muito comum a povos e turistas estrangeiros, para conhecer in loco os arrabaldes, o arquétipo de conquistador, de desbravador. O Velho Mundo ainda tem no sangue seus atos e ações de conquista de novas terras.
Segundo desafio: Transitar com uma cadeira de rodas ou um carrinho de bebê sobre algumas calçadas, de uma esquina a outra de qualquer bairro em qualquer cidade da região metropolitana de Natal. Quem sabe até de mãos dadas com o par.
Terceiro desafio. Cobrar de cada cidadão proprietário de residência ou estabelecimento comercial as legislações contidas nos códigos de posturas municipais de cada município em relação a estacionamento, calçadas e passeio público, espaçamento, ocupação e acessibilidade.
Quarto desafio: Circular pelas avenidas ruas e ruelas das cidades como uma pessoa do povo e da multidão. Utilizar o transporte público travestido de cidadão simples e comum, portador de um mínimo de civilidade e educação, respeitando idosos e deficientes. A fim de perceber e detectar problemas do dia a dia que não são percebidos dentro de gabinetes e de carros oficiais.
Quinto e último desafio: oferecer microcréditos aos munícipes que se prontifiquem a rapidamente reconstruir ou remodelar suas calçadas adequando-se aos códigos municipais e necessidades universais. Microcréditos estes que poderão ser usados em lojas de materiais de construção do próprio município, bem como utilizar serviços de mão de obra local, visando uma maior arrecadação de ICMS.
Atos e fatos para que a mão aberta e estendida não signifique um pedido de esmola, nem a população e nem aos turistas.

Parnamirim/RN – 12/03/2013

Roberto Cardoso
(Maracajá)
RM & KRM

Cientista Social
Jornalista Científico

Sócio Efetivo do IHGRN
(Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte)

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s