Domenica di Pasqua e Derecho das Personas

DPs – Domenica di Pasqua e Derecho das Personas

 

A Data Pascal refere-se ao costume do Povo de Deus em oferecer a Deus Pai o pão e o dogma penalizado. Jesus Cristo por meio de sua morte e ressurreição fez à vontade de Deus Pai, diante dos discípulos pecadores, no dia do perdão do povo.

A cerimônia do lava pés, como um ato de se despojar do passado, dantes pisados, deriva do primeiro gesto de acolhida em uma casa, primeiro água, em seguida  pão, que é  distribuído depois de partido, dentre os presentes..

Estudos, notícias e pesquisas demonstram as quantas andam os direitos das pessoas.  Exibem, atestam a falta de respeito aos DPs – Direitos Primitivos do homem, desde o princípio, os direitos das pessoas, o direito de ir e vir, direito de transitar por uma calçada, o direito de atravessar uma avenida com um cidadão, ser respeitado nas faixas de travessias.

Direitos do ser como pesquisador e consumidor, diante de produtos, derivados ou produzidos, evitando danos e perdas, das pessoas. Drogarias e padarias, destilarias e perfumarias de tamanhos demasiados ou pequenos.

Notícias informam as carências das DPs – Defensorias Públicas com a falta de defensores públicos, chegando no estado (RN), em determinadas paragens, a relação de um defensor público para uma parcela de mais de cinquenta mil habitantes.

 As DPs, delegacias policiais com detenções em via pública ou em diligências policiais a quem cometa delitos contra o patrimônio público ou privado, desviando parcelas de dinheiro público, seguem a duras penas.

Desajustes políticos oriundos de direcionamento político em detrimento próprio. Distúrbios psíquicos, das profundezas do ser dominam a política dentro de partidos dogmáticos.

Deficiências patológicas. Não são atendidas por doentes e pacientes que determinados aguardam pacientemente um doutor público, já que dispõem de poucos recursos para um doutor particular. O dilema do pobre, como dispor suas poupanças, doença ou pão.

A falta de DPs, atualmente geram problemas distintos e dificuldades particulares.  Gerando doenças psíquicas e doenças patológicas, diagnósticos pertinentes, danos permanentes.

Um discípulo, ou diácono, e um padre ou um pastor que circule pelas ruas, distritos e praças a fim de colher informações e observações para fazer um diagnóstico pastoral, ao final do dia dirá e perdoará, diante de se Deus e ao seu Papa, Da-nos a Paz. Perdi o dia, Diem perdidi. Mas persistirá com seu Deus e seu Papa, diariamente, permanentemente, dia pós dia.

 

 

Parnamirim/RN –  22/03/2013

 

 

 

Roberto   Cardoso

(Maracajá)

 

 

Cientista Social

Jornalista   Científico

 

Sócio Efetivo do   IHGRN

(Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte)

 

 

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s